Técnicas de Cultivo

O que nos torna especiais é claramente a tecnologia utilizada bem como a nossa preocupação ambiental

• A tecnologia torna eficiente a produção originando um produto standard e com qualidade superior. 

• A nossa preocupação com o ambiente, deve-se à Política e Princípios da nossa empresa mãe - Spisa - que desde o início da sua atividade luta por colocar no mercado um produto com o mínimo impacto para o ambiente de forma a salvaguardá-lo.

Alguns aspetos técnicos que nos tornam especiais: 

 

Estufas em vidro 

As nossas estufas são em vidro, um material mais durável e menos poluente para o ambiente, pois as estufas em plástico necessitam de uma mudança periódica do plástico produzindo uma grande quantidade de material não biodegradável. 

Além deste facto, as estufas em vidro tem cerca de 40% menos perda de energia proveniente do aquecimento relativamente às estufas em plástico, pelo que para além de diminuir a necessidade de aquecimento e consequentemente emissões de co2, otimiza os recursos de aquecimento. 

Como já proferimos, possuímos também: Produção Automatizada com controlo ambiental de estufas.

O sistema de espaçamento das plantas 

Todos nós precisamos de espaço para crescer e as ervas não são diferentes! O nosso sistema de cultivo foi originalmente concebido para a exploração existente na Suécia e no pressuposto de invernos longos e dias com pouca luz. Os sistemas tradicionais de espaçamento de plantas apenas permitem espaçar as plantas uma ou duas vezes ao longo de toda a cultura. Por sua vez, com o nosso sistema podemos espaçar as plantas entre 6 a 8 vezes. 

Este sistema exige investimentos arrojados, mas acreditamos que o aumento de eficiência (entre 30-50%), aliada à excelente qualidade das ervas durante todo o ano, aumenta a satisfação dos nossos clientes e garante os padrões de qualidade que perseguimos. 

Este sistema, permite que as plantas tenham sempre o espaço adequado ao seu desenvolvimento, trazendo grandes benefícios quer fisiológicos, quer ao nível climatérico, pois ao aumentar o espaço entre as plantas, permite que esta cresça de forma correta, com o espaço suficiente e acima de tudo melhora a circulação do ar, diminuindo a humidade relativa, permitindo diminuir os problemas relacionados com doenças das plantas. 

Sistema de acarinhar as plantas 

Algumas pessoas gostam de falar com as suas plantas, mas está comprovado cientificamente que as plantas gostam de ser acarinhadas, e o termo científico é Thigmomorphogenesis. 

Estas têm uma resposta positiva à sensação mecânica produzida pelo toque da tela, beneficiando o seu crescimento. Na natureza, estes padrões podem ser fornecidos pelo vento, pela chuva, pelo toque dos animais que se roçam e pelo homem. Em sua casa pode acariciar as suas plantas com tiras de plástico finas, falar com elas, pôr-lhes música ambiente, ou seja, comunicar com elas e considerá-las como os seres vivos que são. 

Estas carícias são também um método de controlo de pragas porque perturba e desorienta as pragas fazendo-as voar, sendo deste modo capturadas por tiras amarelas gigantes, que pela sua cor, constituem um atrativo para a praga, acabando esta por ficar colada e morrer. Prático, simples e eficaz. 

Estas duas tecnologias anteriores contribuem para a defesa do ambiente na medida em que permitem a produção de plantas mais saudáveis, mais biológicas.  

Sistema de ferti-irrigação em circuito fechado 

O sistema de rega foi construído especificamente com um único objetivo: consumo económico de água. Este sistema permite-nos, como o nome diz, fertilizar e irrigar as plantas ao mesmo tempo, ou seja, à medida que regamos estamos a fornecer às plantas nutrientes necessários ao seu correto desenvolvimento. Em circuito fechado significa que a água de irrigação que não é absorvida pelas plantas não é perdida e entra em recirculação sendo corrigida para ser novamente utilizada. A vantagem de ser um circuito fechado, é sobretudo económica e ambiental. Económica pois não há desperdício de adubo, de água e de energia. Ao reutilizarmos toda a água remanescente não realizamos descargas para o solo, evitando assim a sua contaminação. 

Crescer sem pesticidas

Nas nossas instalações não são utilizados pesticidas, fungicidas nem herbicidas.

• Usamos técnicas e práticas inovadoras para que não seja necessário utilizar qualquer produto que possa ser nefasto para o consumidor e para o ambiente Assim a planta cresce no ambiente ideal.

• Usamos predadores biológicos que se alimentam de outras pragas. O nosso controle é assim biológico e baseia-se no princípio do equilíbrio biológico. Quando existem muitas pragas uma maior taxa de introdução de predadores irá reduzir o número destas. Quando os predadores já eliminaram as pragas e deixam de ter alimento a sua população começa a decrescer. É criado então um ecossistema dentro da nossa estufa.

• Plantamos cebolinho junto à salsa pois os pulgões não gostam do cheiro do cebolinho (nem de outras plantas como o alho). Tão simples, mas eficaz. Tente isso em sua casa! Para manter o ambiente limpo em volta das plantas é realmente fundamental.

• As nossas calhas são desinfetadas com vapor, antes de serem reutilizadas, para reduzir o risco de doença.

• Utilizamos biocombustível (Serrim e Pellets) para realizar o aquecimento da nossa estufa. Reduzindo assim as emissões de CO2 e a dependência dos combustíveis fósseis.

•  O nosso sistema de espaçamento e formato do vaso já possibilitam o uso de menor quantidade de energia em relação aos sistemas tradicionais de cultivo.

 

A colheita manual das plantas

Este ponto é um dos poucos em que consideramos que a tecnologia disponível não é uma alternativa viável.

Hoje em dia podemos realizar a colheita de forma mecânica contudo, ainda acreditamos que a colheita é mais do que apenas um processo mecânico, é o ponto-chave de controlo de qualidade dentro do nosso negócio. Por este motivo, nem sempre a tecnologia é considerada como uma mais-valia, temos sempre de ponderar os prós e contras. E nós escolhemos as Pessoas.